Operações dos EUA no Iêmen matam mais civis do que terroristas, diz ONG

População do Iêmen em manifestação cultural: EUA matam mais civis do que terroristas na região, diz estudo / EFE


Nova pesquisa da Human Rights Watch revela grande parte dos alvos norte-americanos atinge população e não rivais militares


Ações militares realizadas pelos EUA matam mais civis - incluindo mulheres e crianças - do que terroristas ou membros estratégicos da Al-Qaeda no Iêmen. A informação foi divulgada nesta terça-feira (22/10)pela Human Rights Watch. O relatório da entidade foi divulgado simultaneamente a uma pesquisa da Anistia Internacional sobre ataques com drones dos EUA no Paquistão.

Leia, em inglês, o relatório na íntegra

Segundo a pesquisa, aconteceram seis ataques "não admitidos" dos EUA contra alvos no Iêmen. Todas as operações, diz a ONG, claramente ou possivelmente violaram o direito internacional. O mais grave dos ataques estudados pela Human Rights Watch aconteceu em dezembro de 2009, quando a Marinha usou até cinco mísseis para bombardear uma aldeia. Cerca de 82 pessoas foram mortas, sendo 57 civis.

Segundo informações das agências internacionais, inicialmente o governo iemenita disse que 34 "terroristas" haviam sido mortos em um campo de treinamento. No entanto, investigadores concluíram, segundo a HRW, que apenas 14 militantes haviam sido mortos no ataque, junto com no mínimo 41 civis, sendo nove mulheres e 21 crianças.’

Comentários

Leia Mais..