Obama afirma que EUA precisam revisar políticas em relação a Cuba

Obama se encontrou com dissidentes cubanos e se mostrou otimista em relação à retomada de diálogo entre países
Em encontro com dissidentes cubanos, presidente se mostrou otimista em relação à retomada de diálogo entre países


O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta-sexta feira (08/11) que é tempo de os Estados Unidos revisarem suas políticas em relação a Cuba, país a que direciona duros embargos há mais de cinquenta anos.

“Temos de ser criativos, imaginativos e continuar a atualizar nossas políticas”, disse o presidente em encontro com grupo de opositores cubanos na residência de Jorge Mas Santos, presidente da Fundação Nacional cubano-americana, em Miami. 

Obama afirmou que não há sentido algum na ideia de que as políticas de embargo direcionas à ilha cubana, estabelecidas quando Fidel Castro estava no comando no país, seriam de alguma maneira eficientes nos dias de hoje, na “era da Internet, do Google e de viagens internacionais".

O embargo econômico, comercial e financeiro imposto a Cuba pelos Estados Unidos desde fevereiro de 1962 gera controvérsias internacionalmente e é condenado explicitamente pela ONU (Oraganização das Nações Unidas).

Em relação a isso, o presidente norte-americano lamentou o crescente "partidarismo" que existe em Washington em relação a Cuba e que, em sua opinião, bloqueia a possibilidade de avanços nessa matéria.

No entanto, Obama disse que começa a ver mudanças na ilha. “A liberdade em Cuba virá pois existem ativistas extraordinários e grande coragem por parte de pessoas como as que vemos aqui hoje”, afirmou em seu pronunciamento. 

Entre os presentes no evento estavam o dissidente Guillermo Fariñas e a líder das Damas de Branco, Berta Soler. Antes da reunião, Fariñas considerou que o encontro representa "o apoio" da Casa Branca aos dissidentes cubanos e antecipou que pediria a Obama que não fizesse nenhuma reunião com o governo cubano "sem a presença da oposição".

A curta visita do presidente norte-americano à Miami tem como objetivo a arrecadação de fundos eleitorais e neste sábado (09), ele já deve retornar a Washington.”

Comentários

Leia Mais..