A aristocracia carioca tem sua guardiã: a socialite Lourdes Catão

Do blog: Jornalismo Wando 

"A alta sociedade brasileira é mesmo diferenciada. Essa semana ela esteve em evidência no Rio de Janeiro, quando socialites cariocas botaram a boca no trombone e criticaram a "orkutização" de um shopping de luxo da cidade.

Mas quem se destacou no universo do high society foi Lourdes Catão, que desfilou toda sua sabedoria aristocrática em entrevista para o jornal O Globo, levando o beijo no coração dessa semana:

A elegância da guardiã da elite brasileira é tão grande, que, segundo o jornal, Lourdinha "tem o hábito de sempre terminar as frases com um sorriso largo, até quando o assunto não é muito agradável". Aos 85 anos de idade, a socialite ainda encontra fôlego para reclamar dos novos tempos e das trasformações na alta sociedade:
"A sociedade mudou de hábitos. Empobreceu mesmo... Não dão mais festas como antigamente. E as celebridades são mais conhecidas das pessoas. Não importa mais tanto o sobrenome e sim se a pessoa circula, se é vista"
Mas não é só de sobrenome e glamour que vive a nata social brasileira. Política também é um tema que ronda o circuito. Depois de falar mal de todos os candidatos à presidência, Catão confessa:
"Acho que o Aécio é o melhor, mais do nosso lado... Dilma não pode ser reeleita de jeito nenhum. (...) Estamos virando a Venezuela. Se eu pudesse, voltaria amanhã para Nova York. Mas estou mais velha e daria muito trabalho empacotar tudo isso aqui de novo"
De fato, não deve ser fácil empacotar toda a enorme mobília e prataria de Lourdes e se mandar de repente pros EUA. Pra quem já morou 20 anos em Nova Iorque e 5 anos em Paris, não será nada fácil passar o fim da vida no comunismo de Caracas. Força, Catão!"
Via Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Comentários: