Monge com MBA provoca polêmica com comercialização de marca shaolin

Conhecidos ao redor do mundo, os monges lutadores do Templo Shaolin já viraram até tema de um musical da Broadway
"Embora muitos no mundo conheçam o Templo Shaolin, na China, famoso por sua associação com o kung fu, pouco se sabe sobre o misterioso abade que transformou o mosteiro budista em um empreendimento de sucesso global.

Da BBC Brasil

A única certeza sobre o Grande Mestre Shi Yongxin é que ele não é um monge incomum. A começar pelo fato de ter um MBA (mestrado em administração de negócios) - ele foi o primeiro monge budista chinês a obter esta qualificação acadêmica.

O estudos em administração ajudaram Yongxin a comandar a modernização do Templo Shaolin, fundado há 1.500 anos e que hoje funciona como um negócio.
A ponto de Yongxin frequentemente ameaçar com processos centros de artes marciais ao redor do mundo que usem indevidamente o nome do templo.

Localizado nas montanhas de Henan, ao sul de Pequim, o Templo Shaolin ganhou fama pela habilidade marcial de seus monges, que inspirou livros, filmes e até um musical na Broadway. Os monges se apresentam em palcos mundo afora em um conhecido espetáculo de artes marciais.

Abade ou CEO?

O abade, porém, também desperta críticas na China pelo que é interpretado como uma excessiva comercialização das atividades do templo.

O abade Yongxin, ao lado do então premiê japonês, Yukio Hatoyama, em 2009: acusações de enriquecimento ilícito e críticas sobre o comercialismo das atividades

Segundo relatos, ele teria carros de luxo e usa um iPad. Nas mídias sociais chinesas, circulam rumores de contas bancárias secretas, mansões em países ocidentais e de que teria mulher e filho.

Em uma recente passagem por Londres, quando perguntado diretamente sobre esses rumores, ele respondeu de forma enigmática: "Se essas coisas são um problema, já teriam se tornado problema a essa altura".

Na mesma entrevista, o monge se recusou também a demonstrar seus conhecimentos de kung fu.

Aos 49 anos, ele diz estar "muito velho para este tipo de coisa" e que não tem se exercitado com frequência.

Isso não deveria causar surpresa, pois o Grande Mestre passa boa parte de seu tempo viajando. Nos últimos anos, ele promoveu uma expansão das atividades do templo, que hoje tem filiais nos Estados Unidos e na Europa.

Yongxin tornou-se uma celebridade e foi fotografado junto a políticos. E, a exemplo do que fazem muitos políticos mais experientes, consegue achar saídas para perguntas mais polêmicas, como na recente indagação para que revelasse as atividades financeiras do Templo Shaolin - ele se recusou a fazê-lo, dizendo que isso teria implicações para outros templos budistas.

Talvez seja mais apropriado mesmo chamar Yongxin de CEO do templo, do que de abade."
Via Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Comentários: