Em fotos: um ano de grandes perdas

O ator e comediante americano Robin Williams foi encontrado morto aos 63 anos, em um aparente caso de suicídio. Williams conquistou os fãs com sua grande energia, capacidade de improvisação e imitações de outros famosos. Ele ganhou fama por filmes como Bom dia, Vietnã e Sociedade dos Poetas Mortos e ganhou um Oscar por seu papel em Gênio Indomável.
Considerado um dos maiores autores da língua espanhola, Gabriel Garcia Marquez morreu no México aos 87 anos. Vencedor do prêmio Nobel de literatura e mestre do realismo mágico, ele ficou conhecido por obras-primas como Cem Anos de Solidão, O Amor nos Tempos do Cólera e Crônica de uma Morte Anunciada.
O candidato presidencial do PSB, Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco, morreu aos 49 anos em um trágico acidente aéreo em Santos. Marina Silva, sua companheira de chapa assumiu a candidatura do partido e chegou a liderar as pesquisas de intenção de voto, mas acabou não passando para o segundo turno.
O ator mexicano Roberto Bolaños, criador dos personagens Chaves e Chapolin, morreu aos 85 anos em sua casa em Cancún. Em eventos em toda a América Latina, milhares de fãs prestaram homenagens ao ator de "Chaves", o seriado infantil que está a mais tempo em exibição na TV brasileira.
O ex-primeiro-ministro israelense Ariel Sharon morreu aos 85 anos, depois de passar oito anos em coma. Político estrondoso, Sharon dominou por um bom tempo a cena política israelense.
Eduard Shevardnadze, que morreu aos 86 anos, foi ministro das Relações Exteriores da União Soviética nos anos 80 e desempenhou um papel fundamental nos acordos que reduziram o risco de uma guerra nuclear global. Mais tarde, porém, ele acabou envolvido em um escândalo de corrupção na Georgia, seu país natal.
Jean-Claude "Baby Doc" Duvalier - que morreu após um ataque cardíaco, aos 63 anos - tinha apenas 19 anos quando herdou o título de presidente vitalício do Haiti de seu pai, Francois ou "Papa Doc". Acusado de corrupção e abusos aos direitos humanos, seu governo foi deposto em 1986. Depois de anos de exílio na França, ele retornou ao Haiti em 2011.
Philip Seymour Hoffman, que morreu aos 46 anos, foi um dos atores mais respeitados de sua geração. Original e versátil, ele foi aclamado pela critica ao interpretar uma grande variedade de personagens complexos. Só pelo Filme Capote, de 2005, ganhou 23 prêmios - incluindo o Oscar de melhor ator.
O jornalista Ben Bradlee, que morreu aos 93 anos, era editor do jornal Washington Post quando o escândalo Watergate derrubou o presidente americano Richard Nixon. Bradlee teria ajudado a transformar o Post em um dos jornais mais respeitados dos Estados Unidos.
O escritor, dramaturgo e poeta paraibano Ariano Suassuna, morreu aos 87 anos no Recife. Autor de obras consagradas como O Auto da Compadecida Suassuna era membro da Academia Brasileira de Letras.
O estilista Oscar de la Renta, preferido das ex-primeira damas americanas Jackie Kennedy e Hillary Clinton, morreu aos 82. De la Renta havia diagnosticado um câncer em 2006.
Conhecido por suas fotografias de Che Guevara e Pablo Picasso - que se tornaram verdadeiros ícones - o fotografo suíço Rene Burri morreu aos 81 anos.
Autor de romances como Sargento Getúlio e Viva o Povo Brasileiro, considerados clássicos da literatura brasileira, o escritor baiano João Ubaldo Ribeiro morreu aos 73 anos em sua casa, no Rio de Janeiro.
A lenda do futebol português Eusebio da Silva Ferreira, artilheiro da Copa do Mundo de 1966, morreu aos 71 anos. Nascido em Moçambique, em 1942, Eusebio marcou um total de 41 gols jogando pela seleção de Portugal.
Vencedora do Prêmio Nobel de Literatura, a sul-africana Nadine Gordimer morreu em Johannesburgo aos 90 anos. Gordimer foi uma das vozes mais poderosas do mundo literário contra o apartheid e escreveu mais de 30 livros.
Da BBC
Via Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Comentários: