“A Ásia é um problema para a aviação”: especialista explica o porquê de tantos acidentes na região


Publicado na DW

"O mau tempo não deve ser o único motivo para o desaparecimento da aeronave da AirAsia neste domingo (28/12), que voava com 162 pessoas a bordo da Indonésia para Cingapura. Para o especialista alemão em aviação Heinrich Grossbongardt, o mais provável é uma combinação de fatores, que podem envolver também falhas técnicas ou decisões erradas da tripulação.

Ele diz, ainda, que a Ásia é uma região particularmente difícil para a aviação, já que existem áreas extensas onde o controle de tráfego aéreo é restrito. “É limitado pelos aviões voarem longas rotas sobre a água”, diz o analista da Expairtise Comunicações, baseada em Hamburgo.

Deutsche Welle: Qual é a probabilidade de que somente o mau tempo seja o principal motivo para o desaparecimento de um avião de passageiros?

Heinrich Grossbongardt: O tempo pode ser um fator que contribuiu. Em todos os acidentes relacionados ao mau tempo que vimos nos últimos anos, o tempo foi um fator, mas sempre combinado com outros. Geralmente há a combinação de mais de um fator para a queda de um avião.

Que fatores podem ter tido influência no caso do voo da AirAsia?

Dizer seria pura especulação neste momento, mas pode ser uma combinação do mau tempo mais algumas questões técnicas; ou o mau tempo e, falando com cuidado, decisões erradas feitas pela tripulação. Neste momento, tudo é possível.

Nas próximas horas deverá ser divulgado o teor da comunicação entre a aeronave e o tráfego aéreo. Nós certamente vamos ver dados do radar que vão dar uma primeira indicação do que pode ter ocorrido.

Considerando o voo da Malaysia Airlines, que desapareceu em março na mesma região, uma das questões que surge é: existem regulamentos diferentes na Ásia em comparação com o resto do mundo? É um lugar particularmente difícil para a aviação?
Nós temos na Ásia muitas áreas extensas onde o controle de tráfego aéreo é limitado por os aviões voarem longas rotas sobre a água. Se, por exemplo, um avião estiver perdendo altitude num determinado ponto, a aeronave vai se tornar invisível para o controle de tráfego aéreo simplesmente por razões físicas, já que ele desaparece no horizonte.

No mundo Ocidental – na Europa ou nos EUA – temos cobertura de radar de quase 100% da região. Então você não vai encontrar áreas onde o avião é invisível para o controle aéreo. Isso é diferente na Ásia apenas por causa da vastidão da região e, ainda, pelos voos serem relativamente longos sobre a água, o que ocorre também em voos de curta distância.

Não houve lições aprendidas a partir dos acontecimentos do voo MH370, especialmente naquela região, que poderiam ter sido aplicadas à aviação?
A lição aprendida após a tragédia da aeronave da Malaysia Airlines é que todo mundo está trabalhando na implementação de uma solução que permita o rastreamento de aeronaves com a ajuda de satélites.

Mas, no mundo da aviação, o incidente da Malaysia Airlines só aconteceu ontem, por assim dizer. Porque encontrar e implementar uma solução, e ainda ter certeza que ela realmente funciona é uma questão de pelo menos dois ou três anos. E passaram poucos meses após o incidente com a Malaysian Airlines.

Existe alguma probabilidade de serem encontrados sobreviventes?
Infelizmente, quando uma aeronave desaparece sobre a água, a probabilidade de alguém sobreviver à queda é muito pequena.

Será mais fácil localizar os destroços da aeronave da AirAsia do que do MH370?

Definitivamente. Mas acredito que é algo completamente diferente. Isso porque uma aeronave A320 é de curto alcance e não tem grande autonomia de voo como um A330. Como o voo era de curta duração, a aeronave tinha uma quantidade limitada de combustível, o que deve restringir as áreas de buscas.
E, no caso do MH370, o que tornou o caso tão difícil e sem precedentes, é que alguém fez a aeronave desaparecer dos radares propositalmente ao desligar determinados sistemas do avião. No momento, não temos qualquer indicação de que isso também tenha ocorrido com o avião da AirAsia.

O tempo estava ruim, e isso poder ser um fator determinante. Eu tenho quase certeza que, nos próximos dias, uma parte dos destroços será encontrada."
Via Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Comentários: