O que acontece com as balas quando se atira para o alto?

Celebração comum em diversos países, os tiros para o alto costumam causar ferimentos sérios e mortes
"Atirar para o alto é uma forma muito comum de se celebrar algum evento especial ou mesmo fazer homenagens em muitos países pelo mundo.

Da BBC Brasil 

Mas em algumas ocasiões, o que era para ser um festejo acaba em tragédia. Quando a bala atirada para o ar retorna para o solo ela pode atingir pessoas, e algumas mortes acidentais já foram registradas em situações como essa.

Na última segunda-feira, o primeiro-,inistro do Iraque, Haider Al-Abadi, pediu que os cidadãos encontrassem outras formas de celebrar.

Estudos sugerem que, apesar de a velocidade de uma bala caindo ser bem menor do que a de uma que acabou de sair da arma, ela é, ainda assim, suficiente para matar.

Saiba mais sobre essa perigosa tradição:

Mortes acidentais fizeram com que a prática de atirar para o alto fosse proibida em alguns lugares
  • Se o cano está mais vertical, a bala vai voltar para o solo muito mais lentamente. Mas se estiver mais inclinado, a bala se comporta mais como um tiro normal, mantendo mais velocidade até cair.
  • Um relatório produzido nos Estados Unidos sugere que uma bala viajando a 61m/s (220 km/h) poderia penetrar um crânio humano e "causar uma lesão séria ou até a morte".
  • De acordo com um estudo de 1962, uma bala de calibre .30 pode atingir velocidades finais de 91 m/s (perto de 330 km/h) conforme vai caindo.
  • Entre 1985 e 1992, um hospital em Los Angeles tratou 118 pessoas atingidas por tiros acidentais, 38 delas morreram.
  • Relatórios de Porto Rico, onde celebrações com tiros para o alto são muito populares, indicam que, em média, duas pessoas morrem e 25 ficam feridas a cada noite de réveillon.
  • Comemorações com tiros no Kuwait depois do fim da Guerra do Golfo em 1991 causaram 20 mortes.
  • Acidentes como esses levaram à proibição ou à campanhas contra os tiros para o alto em países como Sérvia, Macedônia, Jordânia e em vários lugares nos Estados Unidos."
Via Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Comentários: